terça-feira, 2 de dezembro de 2008


Quando tudo parece dá errado você perde o gosto pelas coisas, o tédio vira sua companhia, a paciência lhe falta.. Eis que, chega o fim do ano - e tudo que leva "fim" no meio, sempre vem acompanhado de surpresas; como a dois anos atrás, quando você me apareceu de forma, digamos assim, interessante. E era tudo o que eu não queria! O começo de um novo ano, memórias que se apagam pra abrir espaço para novas; sentados na praia conversando, e a medida que a lua saía e dava espaço para o sol chegar, você falava coisas que eu sinceramente não prestava muita atenção, mas não conseguia parar de te olhar. E pra mim, aquele momento podia se prolongar muito mais além dalí, e eu poderia me acostumar com a idéia de te ter por perto, mas depois que o sol nasce, é hora de acordar.. o sol ilumina coisas que estavam na nossa frente o tempo todo, mas também pode ofuscar nossas vistas com tanto brilho. E por um tempo, procurei evitar ver o sol, não por escolha, mas por consequência. - Muitas coisas acontecem, e a gente não pode evitar. Podemos procurar nos adptar à essas coisas da melhor forma, e com o tempo tomarão o rumo certo. Ou podemos escolher viver com a mágoa. Não importa a decisão, é preciso escolher entre os dois para seguir. - A vida havia mudado de dois anos pra cá: idéias, sentimentos, opiniões.. Eis que chega uma hora em que já aconteceu tanta coisa, que você começa a achar que nada mais é impossível, e que tudo que chega, vem por algum motivo. E quem diria que eu íamos nos deparar dois anos depois exatamente no mesmo local? Eu jamais diria, e acho que você muito menos (e mais uma vez, era de noite.) Sabe quando você tem um tipo de ligação tão forte com alguém que, mesmo depois de muito tempo distantes nada muda? Eu sempre gostei disso entre nós. Era engraçada a forma como você tentava me convencer a ficar, enquanto eu procurava evitar; mas quando alguma coisa tem que acontecer, mesmo que tente-se, não se consegue evitar. Na hora em que você me abraçou, e logo depois virou pra mim e sorriu sem dizer nada.. eu me apaixonei por você naquele instante. E por medo, eu não queria ter que ver o sol nascer outra vez e ser ofuscada pelo o brilho dele como a dois anos atrás, por isso fui embora sem me despedir; porque se a gente nunca mais se visse ou falasse de novo, aquela teria sido a melhor lembrança que eu poderia guardar.
E no outro dia você apareceu, e parecia estar disposto a não desistir dessa vez e nem a me deixar desistir. Quando se consegue alcançar níveis altíssimos de felicidades, naturalmente ignoramos verdades que não podem ser ditas, pois assim, fariam com que botassem tudo a perder. Não foi um ano, também não foi um dia; não foi um mês e nem foram horas, mas durou o suficiente para me fazer ficar. Certas verdades não conseguem ser ignoradas por tanto tempo, e a gente aprendeu isso. Te obriguei a falar o que você não queria admitir, e você falou o que eu não queria ouvir.. e nenhum dos dois tem culpa nesse ponto. Éramos tão iguais, que até nos erros a gente se confundia, se perdendo um entre o outro. talvez eu tenha errado em me precipitar ao abrir mão da gente, e você por não abrir mão do seu passado. honestamente, seja quem tenha errado, nunca me importou. eu só precisava de um motivo para não ter ido.. acho que não preciso nem falar no que resultou tudo isso (...) Por muito tempo evitei falar sobre esse assunto, me desapeguei a qualquer vínculo que me ligasse à você, achava que ao fazer isso tornaria as coisas mais simples, e aparentemente funcionava. E de alguma forma, você sempre conseguia fazer com que eu nunca conseguisse evitar totalmente, e eu sempre caía em antigos padrões. - É complicado seguir em frente quando parece que você estar sendo puxado para baixo. E acabei criando um sentimento de raiva que funcionava como desculpa para jogar a culpa de tudo que tinha acontecido em você, sem me dar conta que eu também fazia parte dessa história.. errei tentando acertar, e acertei pensando que errei. Eu não devia ter perdido tanto tempo procurando um motivo que provasse você estava errado, um motivo que era inexistente. Nem por um minuto passou pela minha cabeça agradecer a você por ter me ensinado tanta coisa, a razão quase sempre fala mais alto que a emoção quando se quer estar sempre certo, por isso tô aqui, pra te falar que eu nunca tive a intenção direta de te culpar por nada, e nem nunca quis te manter distante de mim como tenho feito. Cada pessoa é única, independente da forma que ela marcou nossas vidas. Você me mostrou verdadeiros valores, lições que aprendi de formas não muito convenientes, mas necessárias o suficiente para me fazerem ser uma pessoa melhor, obrigada. E se você puder me prometer algo, prometa-me que sempre que sentir que sua fé em algo ou alguém vacilou, você vai olhar para si mesmo com os meus olhos, procurando sempre ver o lado bom das coisas. Esse foi só um capítulo, entre tantos outros que virão. "E aqui vai meu último grande conselho pra você: não tenha medo de se apaixonar, fique atento àquele sinal de que não haverá mais nada igual!"

PS: (L)

2 comentários:

mentesiludidas disse...

pqp, que texto lindo ducaralho véi, eu fico pensando porque a pessoa consegui ser assim ,assim que ele é;/ não culpe ninguém, pois ninguém tem culpa de não existe a perfeição! se tivesse não haveria o erro! e sem erro não haveria o arrepedimento. eai por diante, eu lhe amo (L)

juliana__ disse...

Belo texto!!!!!
É engraçado quando a gente deixa o coração falar, saem coisas altamente lindas por mais que venha parecer "sofridas"

parabéns :*